Melhores dicas da Chapada Diamantina

Olá pessoal,

Decidi fazer um post resumindo as melhores dicas da minha viagem maravilhosa pela Chapada Diamantina, na Bahia.

Fui para a Chapada Diamantina na primeira quinzena de maio de 2015. Aliás, acho que é a melhor época. Pós-chuvas, as cachoeiras estão todas cheias. Ver as cachoeiras vazias deve ser muito decepcionante. Essa época é logo antes do período de alta temporada, quando tudo fica muito mais cheio. Também é possível nessa época ver o raio de sol batendo nos poços nos horários específicos (Poço Azul e Poço Encantado). Recomendo!

Teve um incêndio grave na Chapada em dezembro de 2015. Não sei como isso afetou os passeios que eu listei abaixo. Recomendo verificar como está a situação.

Eu fui de avião do Rio de Janeiro para Salvador e fui de ônibus de Salvador para Lençóis. Não é a opção mais rápida, mas sai muito mais barato que esses voos que vão para Lençóis. Como tem muita gente que faz esse trecho e as opções são escassas, é bom comprar a passagem de ônibus com alguma antecedência. Eu deixei para comprar na hora e acabei conseguindo apenas um ônibus que saía horas depois. O lado bom é que tive tempo de dar uma passeadinha por Salvador enquanto esperava o horário do ônibus.

Recomendo muito alugar um carro em Lençóis para fazer os passeios e ir dormindo nas cidades mais próximas aos passeios que você for realizar. Ficar em Lençóis apenas e se locomover todos os dias é muito cansativo. A Chapada é enorme! Como não há sinal de celular em qualquer lugar na Chapada, eu olhava o caminho no Google Maps antes e seguia o mapa offline. Não me perdi em nenhum momento, achei bem tranquilo dirigir por lá. Apenas é necessário dirigir com cautela pois há trechos em que algumas estradas são bem ruins. Em algumas estradas de terra eu cheguei a  dirigir em alguns trechos a 20 km/h. Os alugueis são caros justamente por conta da manutenção excessiva exigida dos carros devido à situação de muitas estradas. Um 4×4 seria melhor mas é mais caro ainda e realmente não é necessário.

Para a maioria dos passeios é possível contratar o guia na própria entrada do local. Claro que se for uma época de alta temporada, corre o risco de chegar lá e não ter guia disponível.

Os passeios que fiz e recomendo:

Base: Lençóis

Em Lençóis as hospedagens são mais caras. Não gostei muito do quarto da pousada que fiquei. Foi a Pousada Corona de Pedra. Mas eu fiquei nos quartos mais baratinhos pois estava dividindo com uma amiga. Eles tem quartos melhores na parte da frente da pousada. O café da manhã era bom.

Morro do Pai Inácio: sobe de carro e faz uma trilhazinha de 15 minutos pra chegar ao topo. A dica é ir ao final do dia para ver o pôr do sol. Não precisa de guia.

MA20150527_DSC0867
Gruta da Lapa Doce: para ativar seu lado explorador e ver uma formações rochosas diferenciadas. Também tem a Gruta da Torrinha que é muito maior, mas eu acabei não fazendo pois não tive tempo. Mas a Gruta da Lapa Doce já é bem legal! Contrata o guia na própria entrada do passeio.

MA20150521_DSC9961
Gruta da Pratinha e Gruta Azul: lindas grutas! É possível fazer flutuação com snorkel na Gruta da Pratinha. Não precisa de guia.

MA20150521IMG_9769

MA20150521_DSC9869
Serrano: é a “prainha” de Lençóis. Fica dentro da cidade mesmo, então é possível dar uma passada ao final do dia depois de algum passeio. Não precisa de guia.

MA20150526_DSC0734
Ribeirão do Meio, Rio Mucugezinho e Poço do Diabo: você passa por tudo isso na mesma trilha, que não é longa. Não precisa de guia.

MA20150527IMG_0391

Base: Vale do Capão

Fiquei na Pousada O Tatu Feliz. Boa e barata. Bom café da manhã.

Cachoeira da Fumaça: foi a trilha mais pesada que eu fiz lá mas também foi a cachoeira mais bonita. Eu não tenho muito preparo físico e aguentei, mas não recomendo para quem tem tendência a ter problemas cardíacos ou no joelho. A trilha total tem uns 12 km e é só subida na ida e só descida na volta. Bem puxado mas foi espetacular. Com a cachoeira cheia nessa época do ano é realmente incrível. Contratei o guia na entrada.

MA20150522IMG_9858
Cachoeira do Riachinho: fica bem na entrada do Vale do Capão. Dei uma paradinha rápida ao final do dia já que era caminho. Não precisa de guia.

MA20150522IMG_9893
Trilha de Guiné para o Mirante do Vale do Pati: muitos trilheiros vão para a Chapada Diamantina só para fazer o Vale do Pati, num esquema bem mais rústico. Na falta de conhecer o Vale, essa trilha que vai até o Mirante vale muito a pena. A vista é incrível! É uma trilha longa mas tranquila. O trecho inicial é uma subida puxada mas o resto é plano. Contratei o guia em Guiné, mas não tenho o contato. Os melhores guias geralmente ficam ocupados. Vale agendar com antecedência.

MA20150523_DSC0244

Base: Ibicoara

Na verdade eu dormi em Mucugê, mas acho bem melhor dormir em Ibicoara para fazer o passeio abaixo. Precisa sair cedo para fazer o passeio e Ibicoara é bem mais perto.

Cachoeira do Buracão: um dos passeios mais divertidos pois você entra na água para ver a queda de frente, que fica dentro de um cânion. Alguns guias no Vale do Capão tentaram me convencer que não dava pra fazer o passeio sem ter um 4×4. Fui com o Gol e achei tranquilo. Tem um momento que atravessa um rio, mas o guia me orientou a passar por cima das pedras certinho, então não tive nenhum problema. A trilha é bem fácil e curta e passa por outras cachoeiras no caminho. Vale muito a pena. Contratei o guia em Ibicoara na Associação Bicho do Mato.

MA20150525IMG_0140

Base: Mucugê

Pousada Oliveira Mucugê. Simples e boa.

Cachoeira da Fumacinha: é gigante e muito legal. O passeio mais bonito é por baixo, mas é a trilha mais difícil de todas. Por baixo a trilha é toda pulando pedras acompanhando o rio, de aproximadamente 4h pra ir e 4h pra voltar. Acabei optando por não fazer pois achei que seria muito puxado e arriscado. Fiquei com medo de não aguentar ou até pisar numa pedra solta e me quebrar toda. Acabei decidindo fazer a trilha só por cima. Contratei o guia em Mucugê, nas agências.

MA20150525_DSC0555
Poço Encantado e Poço Azul: me hospedei em Igatu uma noite para fazer esse passeio, mas é possível sair direto de Mucugê. Igatu é uma cidadezinha muito charmosa mas a estradinha de terra para chegar à cidade é bem ruim, e pior ainda chegando à noite cansada depois de passar o dia fazendo passeio. Para esses poços você tem que prestar atenção no horário em que o raio de sol bate, se você for na época do ano em que o isso ocorre. Passei primeiro no Poço Encantado, uma das coisas mais lindas que já vi na vida, e depois no Poço Azul, onde é possível fazer flutuação com snorkel. Cheguei às 10h no Encantado e umas 12h30min no Azul. Clique aqui para maiores informações.

MA20150526IMG_0300

MA20150526IMG_0317

Saindo do passeio dos poços voltei para Lençóis para passar mais uma noite. No dia seguinte fui para Morro de São Paulo e Ilha de Boipeba. Dicas para outro post…

Maysa Alexandrino

20120506_ensaiomaysalucas-40

Deixe uma resposta

  1. Maysa, belo post! Vou pra chapada e Boipeba em novembro e tenho algumas perguntas, se vc puder ajudar, por favor:
    1) Como vc fez para ir da Chapada para Boipeba?
    2) Quanto de dinheiro em espécie devo levar para a chapada, para ficar 5-7 dias?
    3) Quanto é a diária de aluguel de carro? Aceitam cartão? Tem posto de gasolina por lá?
    4) Boipeba somente dinheiro em espécie tb?
    Grato.

  2. @Marcio Souza
    Olá Marcio!
    Eu fui de ônibus de Lençóis até Feira de Santana. Lá eu peguei outro ônibus para Valença. Em Valença vc pega a lancha rápida para Boipeba. Achei o melhor caminho pois de Salvador para Boipeba pega um barco que chacoalha muito e eu enjoo muito fácil.
    Olha, o dinheiro é muito relativo. Depende de hospedagem, passeios, aluguel de carro, etc…
    O aluguel de carro na região é caro pois as estradas são ruins e os carros desgatam muito. Mas é a melhor opção de locomoção para não precisar ficar contratando passeios o tempo todo e ter mais independência. Vale a pena! Acho que foi uns mil reais uns 6 dias de locação. Não achei necessário alugar nenhum 4×4. Aluguei um Gol msm e foi suficiente. Basta dirigir devagar e com cuidado nas estradas de terra. Tem posto de gasolina sim e praticamente tudo aceita cartão.
    Em Boipeba vc pode precisar de dinheiro dependendo do que for fazer. Eu paguei reservei pousada previamente então já estava paga no cartão. Só usei dinheiro em Boipeba para comer tapioca na praça.
    Espero ter ajudado.
    Abs.

  3. Boa tarde! Achei muito incrível o seu post. Tô com muita vontade de viajar pra lá, e até então eu tava muito perdida na questão de locomoção, e o seu post ajudou bastante.
    Só por uma questão de planejamento…. no geral contando com tudo, Vc gastou quanto nessa viajem? quantos dias vc passou lá? E Viajar pra lá final do ano seria uma boa época?