De malas prontas: Uma noite em Bangkok (Tailândia)

Oi pessoal,

A dica de hoje é para tornar a sua noite em Bangkok memorável e com um custo bem honesto. Trata-se da dobradinha “visual deslumbrante + refeição inesquecível”. Mas você se engana se acha que vou indicar um jantar em um dos restaurantes dos carésimos e tumultuados roof tops (terraços) da metrópole tailandesa. De fato é imperdível a subida ao terraço desses arranha-céus, porém, além dos preços serem tão elevados quanto a altura dos edifícios, a fama atrai muitos turistas diariamente e seria impossível desfrutar de um jantar romântico e reservado, ainda que você estivesse disposto a pagar por isso.

Chao Praya River e o Hotel Lebua à direita

Chao Praya River e o Hotel Lebua – com o mais elevado bar ao ar livre de Bangkok – à direita

Nossa escolha foi pelo famoso Sky Bar do Hotel Lebua, o mais elevado bar ao ar livre de Bangkok. E sua fama ganhou ainda mais prestígio com as cenas do filme “Hang over 2 (Se beber não case 2)”. Vale a pena chegar às 18:00 para pegar o terraço ainda vazio e ver o pôr do sol e as luzes acendendo. O visual é muito lindo.

Sky bar 5

Sky bar 4

Sky bar 3

Sky bar 2

Muitas pessoas me indicaram que eu fosse ao menos ao bar tomar um bom drink para poder apreciar a vista. Mas lá descobri que não é necessário consumir nada para ver o anoitecer e as tantas luzes marcando a imensa atividade da cidade. Não há cobrança de consumação mínima. É possível entrar e aproveitar a vista por quanto tempo desejar sem gastar nada. Assim como o restaurante Sirocco, a carta de bebidas do Sky Bar também é extremamente inflacionada. Então, optamos por curtir o cenário, tirar umas fotos e partir para o segundo tempo da nossa noite: o Blue Elephant.

Blue Elephant

Saímos do Hotel Lebua e fomos caminhando até a estação de metrô mais próxima. O Blue Elephant está localizado em frente a saída da estação seguinte (uma ou duas, salvo engano). Lá fizemos a melhor refeição de toda a nossa viagem pelo Sudeste Asiático. Foi também o restaurante mais fino que visitamos. A arquitetura, a decoração e as louças são lindas, o atendimento é excelente e o preço é bem honesto. Há fartas opções de menu degustação (até demais pra nós). Por isso nos restringimos a um prato principal por pessoa acompanhado pelos famosos sticky rice de jasmim e orgânico. Amei o arroz orgânico! Até comprei uma caixinha desse arroz na loja do restaurante para presentear a Maysa. Ela também aprovou. A marca Blue Elephant possui diversos produtos: ingredientes para receitas tailandesas, acessórios e itens de decoração. Até nos free-shops dos aeroportos da Asia é possível encontrar seus produtos.

Blue Elephant 2

Para embalar a noite, escolhemos um vinho branco tailandês e nos surpreendemos. Não sabíamos que a Tailândia produz bons vinhos. Esse Chenin Blanc – safra 2010, da vinícola PB Valley, estava delicioso.

Blue Elephant 3

Antes de chegarem os nossos pratos, acabamos sendo presenteados com duas entradinhas da casa, saborosas e uma delas bem picante. Falando nisso, as opções de pratos no menu são niveladas de zero a três pimentas, para que ninguém seja surpreendido. Nos restringimos as marcações sem ou com 1 única pimenta.

Blue Elephant 4

Um dos pratos eleitos foi peito de pato marinado no molho de tamarindo coberto por chalota frita (semelhante à miniatura de uma cebola, com sabor mais delicado) e couve crocante. Fantástico!!! Melhor pato que já comi na vida. O molho de tamarindo com uma carne de sabor tão marcante faz uma combinação incrível! Bela surpresa. O outro prato foi composto por costelas grelhadas com mel orgânico e ervas tailandesas. Também aprovadíssimo!

Descrições no cardápio:

Tamarind duck: Grilled medium rare marinated duck breast topped with sauce made of golden sweet tamarind from Petchaboon Province, accompanied by fried shallots and crispy kae

Blue Elephant 6

Grilled spare ribs with honey: Blue Elephant recipe of grilled spare ribs with organic honey and Thai hebs from the Royal Project Farm

Blue Elephant 5-a

O arroz de jasmim e o arroz orgânico são servidos quantas vezes desejar, costume bem comum nos restaurantes do Sudeste Asiático. Mas esse arroz orgânico (o escurinho) foi o melhor de toda a viagem. Aliás, os outros foram só arroz. Esse foi O Arroz!

Blue Elephant 4-a

A sobremesa deixou a desejar. Pelo menos essa que escolhemos não casou com o nosso paladar. A mousse de chocolate estava bem gostosa, mas é só uma mousse. E não curti o créme brulée de gengibre, que era a minha grande expectativa. Esperava que ao creme seria adicionado um toque de gengibre dando uma leve ardida e contrabalanceando com o doce. Mas vieram pedaços de gengibre no meio do creme. Achei esquisito.

A descrição no cardápio: Ebony & Ivory – Ginger Crème Brulée and Belgium Chocolate Mousse together in perfect harmony side by side on the plate

Blue Elephant 7

Mesmo assim, não deixamos a pobre sobremesa influenciar a perfeição do jantar. Nota dez para o Blue Elephant e melhor ainda se a noite começar na altura do Sky Bar.

Sky Bar
63º andar do Hotel Lebua
1055 Silom Road – Bangrak – Bangkok
Funcionamento: todos os dias das 18:00 – 01:00

Blue Elephant
233 South Sathorn Road – Kwaeng Yannawa, Khet Sathorn – Bangkok
Funcionamento: Todos os dias das 11:30 às 02:30

Beijos e até,

Paula

 

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

  1. Uauu dica super útil uma vez que estou de olho neste roteiro. Para guardar.
    Bjs
    Dani Bispo

  2. Pingback: De malas prontas: Melhores dicas da Tailândia

  3. Oi Caroline!

    Não lembro ao certo o valor que gastamos lá. Mas com o vinho, os dois pratos principais e a sobremesa, devemos ter pago algo em torno de US$ 100 a US$ 115 (cerca de 3.200 a 3.600 bahts). Espero ter contribuído para a sua decisão. Bjs, Paula.

  4. Parabéns pela matéria. Almocei lá no domingo mas preciso fazer uma correção. O vinho não é de arroz. A uva e Chenin Blanc uma variedade branca bastante conhecida.

  5. Muito obrigada pela contribuição, Cesar. Já considerei no post. Devo ter mal interpretado a explicação do sommelier. Abs, Paula