De malas prontas: Templos de Bangkok

Oi pessoal,

Depois de mostrar aqui a viagem pelas lindas praias do sul da Tailândia e todo o encanto da bela Chiang Mai ao norte do país, chegou a vez de contar sobre a sua capital e a porta de entrada do Sudeste Asiático para quem voa de qualquer lugar do mundo. Se o que mais impressiona ao viajar para esse cantinho do globo é o choque cultural, transitar por Bangkok é cair de pára-quedas na realidade dos tailandeses. Não basta a intensa pesquisa prévia. Por mais bem informado que se esteja, com roteiro estruturado, boa noção dos usos e costumes, Bangkok vai te surpreender. De alguma forma. Há quem ame e quem odeie. No mínimo, pode-se dizer que essa cidade é bem complexa: muita gente, muito trânsito, muita poluição, muitos cheiros, muitos templos, muitos sorrisos, muita comida de rua, muitas massagens, muita falta de higiene, muitos canais, muitos arranha-céu, muitas cores, muitas luzes, muitos sons, muita negociação, muita mímica pra se comunicar com a maioria que não fala inglês.

Nosso primeiro dia em Bangkok foi destinado a conhecer seus principais templos: O Grande Palácio Real, o Buda de Esmeralda (Wat Phra Kaew), o Buda Deitado (Wat Pho), o Buda de Ouro (Wat Traimit) e o Templo do Amanhecer (Wat Arun). Para ir e vir fizemos várias viagens de barco, entre as estações dos canais, e apenas uma corrida de tuk-tuk (depois de muita pechincha). Na ausência de um transfer contratado, evite os taxis e tuk-tuks, as pegadinhas e a sensação de estar sendo sempre enrolado. A melhor opção, após decifrar os enigmas das linhas e estações, são os barcos e o metrô (MRT e BTS). Importante: no dia de visita a templos, vá com calças e blusas que cubram os ombros, folgadas e com cores neutras.

O Grande Palácio Real é um conjunto de edifícios que serviu como residência oficial do rei da Tailândia por cerca de 200 anos até o Século XX. É uma intensa mistura de cores e informações. É o símbolo da realeza e do Budismo. Nesse complexo está localizado o Wat Phra Kaew, o templo sagrado do Buda Esmeralda (que não pode ser fotografado).

Wat 2

Wat 3

Wat 4

Wat 9

Wat 5

Wat 8

O Templo do Buda Deitado é o maior e mais antigo templo de Bangkok e está localizado a 10 minutos a pé do Grande Palácio. A escultura de Buda possui 45 metros de comprimento! Nesse templo também está localizada a escola de massagem mais tradicional da Tailândia.

Wat 7

Wat 6

O Templo do Amanhecer está localizado à beira do rio Chao Phraya, ao lado oeste. O melhor lugar para fotografar o Wat Arun é de dentro rio, vindo de barco do Wat Pho, especialmente se for no pôr do sol. Subir a escadaria íngreme da pagoda também oferece uma vista bonita a 80 metros de altura.

Wat 10

Wat 12

Wat 13

O Templo do Buda de Ouro, localizado na entrada de Chinatown, contém a maior imagem de Buda de ouro maciço do mundo, chegando a pesar 5,5 toneladas. No século XVIII, durante a guerra com a Burma, essa imagem foi coberta por gesso para escondê-la dos invasores. Muitos anos depois, em sua transferência para Wat Traimit, ao cair no chão no momento da instalação, o gesso se quebrou, o ouro maciço voltou a se tornar visível e a imagem resgatou seu devido valor.

Wat 1

Além desses, Bangkok é repleta de muitos outros templos. Mas se o interesse for em conhecer apenas os principais, esse é o roteiro clássico.

Beijos e até,

Paula

Paula nova

Deixe uma resposta

  1. Pingback: De malas prontas: Melhores dicas da Tailândia