Oi pessoal,

Desde que voltei da viagem em janeiro pelo Sudeste Asiático com o Pedro foram feitos nove posts sobre os nossos melhores momentos na Tailândia. Esse será o décimo e o mais importante. Além de concentrar todas as dicas que já contei aqui, fazendo o link com cada post, tentarei passar as informações mais preciosas a quem está programando uma viagem pra lá. Portanto, hoje não serão só flores. Agora vocês também conhecerão a verdade nua e crua.

Thai - Bangkok - Grand Palace 1

Antes de começar a pontuar tudo o que acho importante saber, não posso deixar de comentar sobre o acontecimento que foi destaque de todos os jornais nos últimos dias. Após sete meses de impasse entre governo e oposição, as Forças Armadas assumiram o controle do governo tailandês. Quando estivemos lá em janeiro, as manifestações de rua estavam começando a esquentar, mas não chegamos a esbarrar com nenhuma delas. Agora, quem está planejando ir pra lá é bom ficar atento à evolução dos fatos.

Vamos então às informações úteis.

Clima

A Tailândia possui duas estações: úmida – maio a outubro (período de chuvas que deve ser evitado) e seca – novembro a abril. O calor é intenso de março a maio. Ou seja, a melhor época é de dezembro a fevereiro. Em janeiro, pegamos ao longo do dia temperatura média de 26ºC a 32ºC em Bangkok e nas praias do Sul e de 20ºC a 26ºC em Chiang Mai no norte do país. A região norte é sempre mais fria.

Como chegar

A forma mais rápida de se chegar à Tailândia é fazendo conexão em Dubai, via Emirates ou Qatar. Um vôo do Rio até Dubai leva 14,5 horas, seguidas por mais 6,5 horas até Bangkok. Ao todo são 21 horas voando, fora o fuso de 10 horas em relação ao horário de Brasília e o tempo de conexão entre os dois vôos.

Para entrar no país

Brasileiros não precisam de visto para visitar a Tailândia por até 90 dias. O passaporte deve ter validade mínima de 7 meses contados a partir da data de chegada no país. É obrigatória a apresentação do cartão internacional da vacina contra a febre amarela, que deve ser tomada com um mínimo de 10 dias de antecedência à viagem. Ao desembarcar, antes de passar pela alfândega, é necessário se apresentar ao balcão de controle de saúde e preencher um formulário que deve ser entregue junto com o comprovante da vacina. Não se esqueça de fazer seguro-viagem e de levar seu kit de medicamentos. Não é obrigatório, mas pode ser muito útil. Eu, por exemplo, tive que ir a uma clínica em Bangkok tomar soro e alguns medicamentos porque estava vomitando sem parar durante dois dias desde que chegamos lá. Infelizmente, essa foi a reação ao meu primeiro jet lag. Felizmente, a médica que me atendeu na clínica falava inglês. Ufa! Sobre o seguro, como comprei as passagens com o cartão de crédito, fiz o o seguro-viagem da Visa. Paguei as despesas médicas e depois pedi o reembolso por e-mail, apresentando toda a documentação necessária. Todo o processo levou 5 meses, mas fui 100% reembolsada.

Templos

Wat Suandok em Chiang Mai

Wat Suandok em Chiang Mai

Wat Suandok em Chiang Mai

Wat Suandok em Chiang Mai

Aproximadamente 90% dos tailandeses são budistas. Muitos templos (wats), pagodas, influências arquitetônicas e costumes budistas marcam o estilo de vida da população. Os templos de Bangkok são lindos, mas lotados. São como museus na Europa. Ali, em meio a tanto caos e tanta gente definitivamente não foi possível sentir a atmosfera do Budismo. Apenas admiramos toda beleza. Somente conseguimos perceber seu real significado nos ares tranquilos de Chiang Mai. Atenção à vestimenta nas visitas aos templos. É obrigatório o uso de roupas que cubram as pernas e os ombros, com malhas folgadas e de cores neutras.

Oferendas a Buda no Grand Palace em Bangkok

Oferendas a Buda no Grand Palace em Bangkok

O charme de Chiang Mai

Foi um conforto sair do caos de Bangkok e chegar em uma cidade serena como Chiang Mai. A diferença foi notada imediatamente pela queda de temperatura e da quantidade de pessoas por metro quadrado, proporcionando um clima muito mais agradável. Lá conseguimos curtir muito mais nossa passagem pelos templos, como o Wat Suandok e o belíssimo Doi Suthep.

Doi Suthep

Doi Suthep

Também fizemos programas adoráveis como visitar os tigres do Tiger Kingdom, conhecer o orquidário e viveiro de borboletas e fazer uma aula de culinária na Thai Smart Cook. Essa é uma dica maravilhosa para saber interpretar a comida tailandesa.

Tiger Kingdom 6

Orquidário 3

Thai Smart Cook Day 3

Gastronomia

A base da culinária tailandesa é o arroz. Em seguida vêm as verduras, muitos temperos, carne de porco, frango e peixe, fritos ou ensopados. É isso que se vê nas barraquinhas de rua junto a outras coisas indecifráveis, servidas em palitos e saquinhos ou enroladas em folha de bananeira, com poucos cuidados de higiene.

Comida de rua

Comida de rua

Mas no meio a tanta comida de rua, também existem excelentes restaurantes em Bangkok. O nosso preferido foi o Blue Elephant.

Pechincha

Os comerciantes costumam diminuir de 30% a 50% os valores cobrados inicialmente. Esse costume é sempre praticado ao pegar taxi e tuk-tuk e em feiras e mercados de rua. A contraproposta deve começar com mais da metade do preço cobrado e a negociação normalmente só termina depois que você vira as costas para ir embora.

Como se deslocar pelas cidades e evitar pegadinhas

Para os deslocamentos, procure montar a estratégia antes de sair do hotel com as indicações dos funcionários da recepção. Esses são os poucos que falam inglês, além dos profissionais de turismo (como guias e agentes de viagem). Tenha sempre um mapa da cidade e de preferência use e abuse de aplicativos de celular como o “city maps to go”, que permitem acessar o mapa da cidade sem internet, usando o GPS do celular para identificar em que local do mapa você se encontra. Isso vale especialmente para Bangkok. Sabendo aonde se quer ir é possível aproveitar as boas opções de transporte público como os barcos e o metrô, evitando ser enrolado pelos taxistas e motoristas de tuk-tuk. Os taxistas não vão querer usar o taxímetro e os motoristas de tuk-tuk são os reis das pegadinhas. Eles são tão gentis ao te enrolar que fica difícil acreditar que estão querendo se dar bem. Não vá cair na clássica pegadinha de “hoje esse templo não abre” ou “de manhã o Grand Palace está fechado”. Tudo isso para te levar a algum outro local “muito legal”, normalmente mais distante ou que ele vai ganhar alguma comissão.

Programas “pra turista” que não recomendo

Thai - Mercado Flutuante

O Damnoen Saduak é o mais famoso mercado flutuante da Tailândia. A proposta do local é relembrar o estilo antigo e tradicional de compra e venda de mercadorias de Bangkok, da época em que os canais eram ainda as principais vias de tráfego da cidade. Basicamente, são 2 horas de estrada para chegar até lá e ver um retrato carioca da Saara ou do Mercadão de Madureira de dentro de um barco. Não é legal. Furada total.

Thai - Kantoke Palace - Chiang Mai

O Kantoke Palace é um jantar temático em Chiang Mai com uma comida “típica” bem fraca e um show tosco de música e dança folclórica. Mas se você é do tipo que curte o show de sambistas do Plataforma no Rio de Janeiro ou o Señor Tango em Buenos Aires, vai adorar as apsaras do Kantoke Palace.

As incríveis praias do Sul

Pra quem gosta de praia, a descida até o sul da Tailândia é obrigatória. Tem pra todos os estilos: praia de solteiro com muita noitada, praia deserta pra curtir a dois, mar ideal para mergulho de cilindro, cavernas perfeitas pra escalada e uma coisa em comum: os cenários incríveis. Nossa escolha foi a Railay Beach, na província de Krabi.  Praia linda, pouca gente, com muitas opções de esporte: trilhas, remada e escalada. Dali também partem passeios de barco para conhecer as praias vizinhas, como as famosas (e lotadas) Phi Phi Islands.

Railay Beach - de manhã e fim de tarde

Railay Beach – de manhã e fim de tarde

Maya Bay - Phi Phi Islands

Maya Bay – Phi Phi Islands

As palavrinhas mágicas em Tailandês

Rapidamente você estará pronunciando corretamente essas palavras, de tanto ouvir.

Olá/tchau: Sawasdee Kaa (para mulheres) / Sawasdee Krup (para os homens)

Como vai?: Sabai dee?

Obrigada: Kop Koon Kaa

Obrigado: Kop Koon Krup

Encerro aqui as dicas da Tailândia. Próxima parada: Luang Prabang, no LAOS!

Sawasdee kaa!

Paula

Paula nova

Related posts: