De malas prontas: Litoral norte de Maceió – Alagoas – Parte 2

Olá pessoal!

Segue o segundo post com as dicas da minha viagem pelo litoral norte de Maceió.

Na segunda-feira, além de caminhar pela praia como contei no primeiro post, aproveitei para fazer o passeio pelo Rio Tatuamunha para observar o peixe-boi. A Associação dos Condutores de Turismo de Observação de Peixes-Bois Marinhos controla o passeio e cobra a taxa de R$40,00 por pessoa. Como o animal se movimenta livremente entre as praias e o rio, não há garantia de observá-lo durante o passeio. Acredito que o melhor horário seja no meio da tarde, por volta de 15h devido à movimentação do peixe-boi de acordo com a maré. Ressalto, no entanto, que durante a alta temporada é necessário agendar o passeio, pois há limite de circulação por dia no rio. Essa regra existe devido às leis ambientais que protegem o animal, uma vez que a espécie está ameaçada de extinção.

Os condutores das jangadas também orientam os turistas a não passar a mão nos animais, para protegê-los de doenças. Colaborem!

IMG_0795 cópia

O peixe-boi apoiado na jangada, aproveitando o movimento

IMG_0805 cópia

Cativeiro para proteger os peixes-bois que não se adaptaram à vida no rio

IMG_0814 cópia

O passeio mais legal é o de jangada até as piscinas naturais, entre os corais. Basta pedir a indicação de um jangadeiro de confiança para a pousada em que você estiver hospedado, e ele saberá dizer se a maré estará boa para realizar o passeio ou não. Se você quiser, também pode consultar a tábua de marés para verificar o período de lua cheia, que apresenta a maré mais baixa e a mais ideal para este passeio. Para obter indicações de jangadeiros e empresas de turismo que realizam passeios na região, o site da Prefeitura de São Miguel dos Milagres tem várias dicas.

Olha a chuva lá longe...

Olha a chuva lá longe…

Uma das belíssimas cores do mar durante o passeio

Uma das belíssimas cores do mar durante o passeio

IMG_0884 cópia

Chegando na piscina natural

Neste passeio é possível observar as diversas variações de tonalidade da água do mar até chegar nas piscinas naturais, que são lindas e ótimas para nadar. Ali é possível praticar o snorkeling, aquele “mergulho” beirando a superfície com óculos e equipamento de respiração para observar os peixes e corais no fundo e nas laterais das piscinas. Eu nunca tinha feito e achei bem tranquilo e bonito! Como há várias praias com piscinas naturais na região, é possível fazer este passeio mais de uma vez. Eu só fiz uma vez, saindo da Praia de Tatuamunha e indo até a Praia do Patacho. A piscina mostrada nas fotos abaixo é da Praia do Patacho. Foi possível observar vários peixinhos, inclusive da espécie cirurgião-patela, a Dory da animação “Procurando Nemo”. Adorei!

A lindíssima piscina natural do Patacho

A lindíssima piscina natural do Patacho

IMG_0887 cópia

Detalhe da piscina natural

Fiz o passeio sozinha, o que pode deixar qualquer uma um pouco receosa, pois lá no meio só se vê os jangadeiros e pescadores. Mas o pessoal é muito tranquilo e simpático! O jangadeiro indicado pela pousada, o Beitolo, foi muito simpático e tornou o passeio muito agradável! Ainda paramos em outro ponto para observar uma formação diferenciada de corais que possuem o formato de flores. Também segurei um pedaço solto de coral e um pequeno ouriço. A sensação do ouriço mexendo devagarinho na sua mão dá muita aflição! Hehe…

A última vista do passeio foi da Praia do Patacho, considerada uma das mais bonitas da região.

Praia do Patacho

Praia do Patacho

E aí, curtiram as dicas?

Maysa

Perfil_Maysa

Deixe uma resposta

  1. Pingback: De malas prontas: Praia do Francês (Alagoas)