Oi pessoal,

É com ares comemorativos que apresento a Barcelona que respira Gaudí. Há 161 anos nasceu Antoni Gaudí, em 25 de junho de 1852, na região da Catalunha. O arquiteto que se considerava um estudante do “grande livro da natureza” era um verdadeiro manifestante da Art Nouveau e sabia usufruir dos avanços tecnológicos da 2ª Revolução Industrial em suas obras, o suficiente para ser incompreendido na sua época. Mas também suficiente para ser apreciado como “arquiteto de Deus”, título proveniente de sua devoção católica e de seu maior legado, a Sagrada Família.

Sagrada Família

Sagrada Família

Detalhe da fachada da Sagrada Família

Detalhe da fachada da Sagrada Família

Interior da Sagrada Família

Interior da Sagrada Família

Gaudí assumiu sua construção aos 31 anos de idade e se dedicou por quatro décadas à obra até seu último ano de vida. A  Sagrada Família permanece inacabada, em constante evolução e não se estima a conclusão antes do centenário de sua morte em 2026. Só vendo ao vivo para compreender a sua grandiosidade e complexidade. É, no mínimo, incrível.

Basta caminhar por Barcelona e perceber a presença de Gaudí nas áreas urbanas da cidade, seja por tijolos modelados, cerâmicas e metais brilhantes e multicoloridos ou por estruturas muito complexas. Marcadas por um estilo único, é impossível passar em frente às obras de Gaudí e não reconhecê-las. Qualquer roteiro básico de Barcelona contemplará, além da Sagrada Família, o Palácio Güell, o Parque Güell, a Casa Batlô e a Casa Milà, obras classificadas como Patrimônio Mundial pela UNESCO entre 1984 e 2005.

O Palácio Güell, localizado no bairro do Raval, foi construído entre 1885 e 1890 para servir de residência à família do empresário Eusebi Güell, principal cliente de Gaudí. Destaque para o terraço com o seu visível fascínio e a criatividade na arte de desenvolver chaminés.

Chaminés do Palácio Güell

Chaminés do Palácio Güell

Detalhe de uma das chaminés do Palácio Güell

Detalhe de uma das chaminés do Palácio Güell

O Parque Güell é um grande parque urbano localizado no distrito de Gràcia, também construído por encomenda de Eusebi Güell, entre 1900 e 1914. No seu interior, a Casa-Museu Gaudí foi residência do arquiteto por quase 20 anos e guarda um acervo de obras e objetos pessoais. Essa pode ser uma tarde bem agradável, em baixa temporada. Caso contrário, o parque fica extremamente lotado. De lá, apresenta-se uma bela vista para a Sagrada Família.

Parque Güell

Construções do Parque Güell

Parque Güell

Construções do Parque Güell

Vista do Parque Güell para a Sagrada Família

Vista do Parque Güell para a Sagrada Família

A Casa Milà, conhecida popularmente como La Pedrera, foi construída entre os anos 1906 e 1912. Localizada no Passeig de Gràcia, no bairro Eixample, a casa é um centro cultural de shows e exposições. Eu conheci a La Pedrera em uma noite de jazz no terraço. A banda estava instalada bem no centro e o público ficava espalhado pelos seus degraus e desníveis, conhecidos pela semelhança com o solo lunar. Muito diferente! Mas um tanto desconfortável para assistir a um show. Ainda assim, vale conferir uma atração noturna no terraço, com direito a uma vista bacana para o Passeig de Gràcia.

La Pedrera

La Pedrera

Terraço do La Pedrera

Terraço do La Pedrera

Noite de jazz no La Pedrera

Noite de jazz no La Pedrera

A Casa Batlló é um edifício, situado no nº 43 do Passeig de Gràcia, na Ilha da Discórdia, bairro modernista da cidade de Barcelona. Foi construída entre 1875 e 1877 e é conhecida como “A Casa dos Ossos”, pelo formato dos balcões exteriores, que remetem a um crânio.

Casa Batlló

Casa Batlló

Conhecer Barcelona é conhecer Gaudí e vice-versa, não é mesmo? 😉

Beijos,

Paula

Paula nova

Related posts: