Postagens Etiquetadas ‘Sudeste Asiático’

De malas prontas: Melhores dicas do Camboja

Oi pessoal,

Depois de uma longa temporada apresentando aqui as dicas de viagem da Tailândia e do Laos, chegou a vez de contar sobre o Camboja, o último país que conheci no Sudeste Asiático em janeiro desse ano.

Me limitarei a Siem Reap que foi a única cidade do Camboja que conheci, assim como muitas pessoas que vão até lá atraídas por sua riqueza histórica e arquitetônica e principalmente por Angkor Wat, listado na 10ª posição dentre as novas maravilhas do mundo, pela votação organizada pela NOWC milestones.

Camboja - Angkor Wat 2

No post de hoje listarei as dicas imperdíveis de Siem Reap, assim como um programa um tanto dispensável, dentre outras informações importantes.

Quando ir

O clima de Siem Reap é semelhante ao de Bangkok, na Tailândia. O melhor período do ano para visitar é de novembro a fevereiro, quando a temperatura é mais amena e não chove. Janeiro é considerado o melhor mês. Nós passamos três dias na cidade. Para nós foi suficiente.

Como chegar

Nós voamos de Luang Prabang, no Laos, até Siem Reap pela Lao Airlines. Contando com uma parada no sul do Laos para abastecer a aeronave, a viagem durou 3:40. Brasileiros precisam de visto para entrar no país. Ao chegar ao aeroporto, além do pagamento da taxa de cerca de US$ 25,00 será necessário apresentar original e cópia colorida do passaporte e uma foto 3×4 ou 5×7.

Conversão

A moeda do Camboja chama-se Riel e é extremamente desvalorizada, tanto que ela não é utilizada no turismo. Até mesmo os cardápios dos restaurantes somente apresentam os preços em dólar. Como as coisas são muito baratas por lá, nós só usávamos dinheiro. Só usei mesmo o cartão de crédito para pagar as despesas em uma clínica hospitalar. Sim, eu tive uma infecção bacteriana pesada nessa viagem. Tive que tomar soro e uma série de remédios. Passei muito mal e emagreci 6 quilos. Não foi fácil. Sorte que estávamos com um guia que falava inglês e nos levou até a clínica Lysreyvyna II e explicou o que eu estava sentindo na recepção porque ali ninguém falava inglês. Felizmente, com o médico que me atendeu conseguimos nos comunicar. Eu tinha feito o seguro viagem da Visa por ter pago as passagens aéreas com o cartão de crédito. Levou cerca de 5 meses, mas fui 100% reembolsada das despesas com o atendimento e exames na clínica e medicamentos.

Como se locomover

Para os passeios diurnos aos templos nós contratamos um guia com carro, mas quando queríamos ir ao Night Market, pegávamos um remok (tuk-tuk do Camboja) na porta do Tara Angkor Hotel, onde estávamos hospedados, e pagávamos 1 dólar pela viagem de dez minutos.

Trio de templos imperdíveis com guia particular

Achei fundamental ter um guia conosco, que foi nos contando sobre a história da civilização Khmer e as curiosidades das construções, mostrando os melhores pontos para fotografias e pegando os atalhos para fugir dos grupos de turistas. Ele nos levava nos horários mais tranquilos, enquanto o povo estava almoçando, ou no fim de tarde, próximo do fechamento, com o templo vazio e a luz maravilhosa. E até tirava ótimas fotos nossas!

Angkor Wat

Camboja - Angkor Wat

Angkor Wat é símbolo da bandeira nacional e da moeda do Camboja e vai além, servindo de inspiração para a criação de marcas de hotéis e de produtos, como a cerveja Anchor. Considerada a maior construção religiosa do mundo, com origem hindu e depois budista, o Complexo Angkor foi tombado pela UNESCO como Patrimônio da Humanidade e é a maior representação da civilização Khmer.

Ankor Thom e Bayon

Camboja - Angkor Thom

Angkor Thom é composta por várias construções, incluindo templos e locais para encontros sociais e manifestações culturais, como os Terraços dos Elefantes e dos Reis Leopardos, com paredes minuciosamente talhadas que revelam as heróicas vitórias dos reis cambojanos.

Bayon

Camboja - Bayon Faces

Camboja - Bayon

Bayon, localizado no centro de Angkor Thom, possui 54 torres, cada uma delas compostas de 4 faces de Avalokitesvara (divindade oriental), representante da suprema compaixão de todos os Budas, esculpidas com grande semelhança ao rosto do rei Jayavarman VII. As faces representam os 4 pontos cardeais e foram esculpidas em vários blocos de pedra que juntos compõem as imagens.

Ta Prohm

Camboja - Ta Prohm 2

Camboja - Ta Prohm

Diferente das demais construções do complexo Angkor que tiveram sua vegetação retirada após a exploração francesa,  Ta Prohm foi totalmente preservado. Árvores centenárias cresceram e suas raízes e troncos permeiam as construções como se fossem suas vigas. É considerado o templo mais místico de todo o complexo e ficou mundialmente conhecido depois que Angelina Jolie gravou as cenas do filme Lara Croft – Tomb Raider.

Night Market – para comer, beber, fazer compras e massagem

Camboja - Fish massage

O Night Market é o destino certo de todos os dias, seja para o almoço ou jantar, mas certamente para as compras de artesanato, acessórios e muitos itens de decoração. Prepare-se para a negociação de preço pesada. Os produtos das barraquinhas chegam a cair pela metade do preço. Seja firme na sua oferta e você conseguirá se sair bem. Ali é também o melhor local para fazer massagem. 1 hora de massagem por US$ 5,00! Pessoalmente, curti mais as massagens da Tailândia e do Laos, mas por US$ 5,00 está mais do que justo. Por esse mesmo valor você come pratos nos diversos restaurantes. Destaque para a fish massage com 30 minutos de duração que custa US$ 3,00, com direito a uma Anchor Beer geladinha. Sensacional! Prepare-se para muitas cócegas nos primeiros 5 minutos, depois é só aproveitar e torcer para os peixinhos gostarem dos seus pés.

Haven – o melhor restaurante de Siem Reap

Camboja - anchor beer

Camboja - Haven

No Haven fizemos a nossa melhor refeição de Siem Reap. O lugar é muito gostoso, o restaurante tem uma proposta social muito bacana, os nossos pratos estavam muito saborosos, a cheesecake de biscoito Oreo estava um espetáculo e o preço é similar aos dos restaurantes do Night Market. Imperdível!

Cerimônia de doação de comida aos monges

Camboja - ritual budista

Nosso guia nos levou a uma cerimônia cantada em homenagem ao Dia do Buda, em que a população doa comida aos monges. Como cada dia da semana é representado por um Buda específico (representando os estágios que o levaram ao Nirvana), a frequência dessa cerimônia é a cada 8 dias, para os dias da semana irem evoluindo. Ouvir o canto de mais de 100 monges é uma experiência muito legal.

Passeio de barco pelo rio Tonle Sap com visita às vilas flutuantes

Esse foi o único programa de Siem Reap que eu abriria mão. Achei um pouco decadente fazer esse passeio de barco para observar o estilo de vida miserável da população ribeirinha de Tonle Sap. As famílias vivem ali em vilas flutuantes, em condições precárias e ausência total de higiene. É uma realidade triste. Fiquei até constrangida de tirar fotos. Com o crescimento do turismo e essa ter se tornado uma programação obrigatória nos roteiros da cidade, as crianças de lá foram ensinadas a pedir esmola aos gringos. Basta se aproximar delas e automaticamente vem o pedido por 1 dólar. Pode ser tocante para pessoas de países ricos e desenvolvidos, mas nós brasileiros, que já convivemos com tanta desigualdade social e tanta pobreza, só nos remete aos nossos próprios tristes problemas. Me lembrou as excursões que os gringos fazem às nossas favelas. Enfim, não curti o passeio e não recomendo.

Camboja - casa flutuante no Rio Tonle Sap

Camboja - comunidade ribeirinha de Tonle Sap

Essas foram as minhas experiências vividas em Siem Reap, no Camboja. Finalizo então todos os momentos vividos no Sudeste Asiático que eu queria compartilhar aqui com vocês.

Beijos e até a próxima viagem,

Paula

Paula nova

Related posts:

De malas prontas: L’Etranger e Kopnoi – Arte no Laos

Oi pessoal,

Se Luang Prabang respira o budismo, o L’Etranger Books and Tea e a loja Kopnoi exaltam arte. Uma localizada a poucos passos da outra, a primeira conduzida pela filha e a segunda pela mãe, ambas canadenses. E uma ajuda a outra, especialmente a mãe que cobre a filha quando o trabalho a chama em Hollywood. E esse trabalho lhe rende o acesso a grandes lançamentos que são exibidos diariamente às 19:00 no segundo andar do L’Etranger, em um ambiente escurinho cheio de sofás, poltronas e pufes para cerca de 25 pessoas se acomodarem e assistirem ao filme.

L'etranger

L’Etranger

Os dois lugares estão localizados aos pés do famoso Monte Phousi e os descobrimos no nosso passeio de bicicleta pela cidade. Nos deparamos primeiro com a loja Kopnoi que vende de arte à decoração, passando pela moda. E todos os produtos são locais. No segundo andar da loja funciona uma galeria de arte, que expõe as obras de artistas do Laos. Quando estivemos lá nos encantamos com as pinturas em tela e tijolos e levamos uma plaquinha de tijolo para a nossa casa.

Loja Kopnoi - made in Laos

Loja Kopnoi – made in Laos

Galeria de arte da Kopnoi

Galeria de arte da Kopnoi

Orientados a caminhar até o L’Etranger pela mãe que nos atendeu na loja, entramos para conhecer o lugar. O Pedro pediu uma Beerlao e eu pedi um chá, o melhor chá de gengibre da vida! Curtimos o clima dali.

L'etranger 2

L'etranger 4

Voltamos outro dia para um almoço mexicano regado a Beerlao. Foi quando descobrimos a programação de filmes no segundo andar.

L'etranger 3

Retornamos então pela terceira vez para a sessão do filme Her regada a sopinha de cebola gratinada. Digamos que foi a melhor sopa de cebola que já comemos, muito melhor do que as que provamos em Paris. A receita era francesa, mas com o caldo mais consistente. Incrível! E caiu muito bem com o friozinho de 12 graus da cidade montanhosa de Luang Prabang.

L'etranger 5

Após a sessão, fomos caminhando até nosso hotel sob a luz da lua cheia, satisfeitos por mais um momento gostoso vivido no Laos, cheio de boas surpresas.

Noite no Laos

L’Etranger: Phousi Road, Ban Aphay. Funcionamento: Todos os dias das 7:00 até 22:00

Kopnoi: em frente ao Luang Prabang Primary School, Ban Aphay. Funcionamento: 8:00 – 20:00 (aos domingos das 10:00 até 20:oo)

Beijos e até,

Paula

Paula nova

Related posts:

De malas prontas: Utopia – para comer, beber e relaxar (Laos)

Oi pessoal,

A dica de hoje representa bem o clima de Luang Prabang, no Laos. O Utopia é um lugar para relaxar, ao ar livre, com uma linda vista, seja para ler um livro, para jogar conversa fora, para fazer uma aula de yoga, ou simplesmente para beber e comer. Durante o dia reina a paz e o ambiente favorece a reflexão individual e à noite o espaço fica mais badaladinho, propício pra conhecer o próximo. Hehe…

Utopia

Nós chegamos lá no fim de tarde para ver o pôr do sol. Estava uma luz linda! A energia do lugar estava muito gostosa, a aula de yoga prestes a começar, algumas pessoas lendo, outras conversando baixinho enquanto observavam a maré baixa do Rio Nam Khan.

Utopia 1 Utopia 2

Utopia 4

E nós pedimos umas comidinhas para beliscar e algumas garrafas de Beerlao para embalar o fim de tarde. Foi um momento muito agradável da viagem.

Utopia 3

Beijos e até,

Paula

Paula nova

Related posts:

De malas prontas: Um dia com elefantes no Laos

Oi pessoal,

Depois de apresentar as melhores dicas da viagem pelo Laos começo a detalhar alguns dos momentos que fizeram desse país o nosso preferido do Sudeste Asiático.  O tema de hoje é sobre o nosso dia com os elefantes. O passeio foi realizado com a Tiger Trail Outdoor Adventures e conduzido pelo guia B.K. (Mr. Bounkian). O roteiro foi divido em duas etapas: manhã no Elephant Village e tarde de trilha até a Tad Sae Waterfalls com retorno de barco.

A Tiger Trail nos buscou em nosso hotel em Luang Prabang e chegamos ao Elephant Village por volta das 9h. A primeira parte da nossa programação consistia em passear no lombo de um elefante pelo terreno do Elephant Village, passando entre árvores, subindo e descendo uns morrinhos e beirando à margem do  rio Nam Khan, terminando o percurso com um banho. A ideia era banhar o nosso elefante com o auxílio de uma ducha, mas nós acabamos todos molhados de tanta água que ele jogava na gente com a tromba. Muito engraçado!

Elephant Village 1

O nosso elefante já era um adulto no auge da meia idade, com 45 anos. Estávamos na companhia de mais três casais, cada um em seu elefante. A experiência foi gostosa, ainda mais sendo o primeiro contato com um animal tão lindo e tão inteligente. Os guias se comunicam facilmente com eles e nos ensinam algumas palavras de comando e a melhor postura para conduzí-los. Mas ao longo do passeio não pude deixar de refletir. Mesmo sabendo que o Elephant Village é um órgão protetor dos elefantes, muito sério, com uma preocupação ambiental e social, me deu peninha imaginar que esses animais, que vivem o mesmo tempo que os homens, passam boa parte da vida fazendo esse mesmo percurso tantas vezes com turistas.

Elephant Village 2

Terminada a primeira parte do dia, fizemos um intervalo para o almoço feito ali mesmo no Elephant Village. Nosso prato foi um arroz frito com frango, legumes e ovo. Bem caseiro: simples e gostoso. De barriga cheia, partimos para a nossa trilha em direção à Tad Sae Waterfalls. Foi 1 hora de caminhada com bom ritmo em um percurso de nível moderado de trekking, incluindo alguns subidões e descidões, com pequenas pausas para fotos. Bela digestão!

Trilha para Tad Xae Falls

Trilha para Tad Xae Falls 2

Trilha para Tad Xae Falls 3

E então, chegamos à Tad Sae Waterfalls, uma série de quedas d’água e piscinas naturais com uma cor que é inacreditável. Que lugar mágico!

Tad Xae Falls 4

Tad Xae Falls 1

Para tornar o momento ainda mais especial, tive uma das experiências mais emocionantes da viagem e da minha vida: um banho na cachoeira com um elefante de 11 anos durante uns 20 minutos.

Tad Xae Falls 3

Tad Xae Falls 8

Tad Xae Falls 5

Completamente anestesiada de tanta emoção, deixamos a Tad Sae Falls para retorno de barco até o carro da Tiger Trail e então, voltamos ao hotel, chegando por volta das 16:30. Que dia! Memorável…

IMG_2873

Isso é Laos! Beijos e até,

Paula

Paula nova

Related posts:

De malas prontas: Melhores dicas do Laos

Oi pessoal,

Hoje começo a série de posts sobre a surpresa mais agradável do Sudeste Asiático, o Laos. Embarcamos para aquele cantinho do oriente em janeiro desse ano, considerado o melhor mês para visitar esses países por conta das condições climáticas favoráveis: dias de sol sem muito calor. Depois de conhecermos a Tailândia, passamos cinco dias em Luang Prabang, cidade localizada em uma região montanhosa bem ao centro do Laos, entre os rios Mekong e Nam Khan. Começamos nos surpreendendo pelo clima de lá. De manhã cedo e à noite faz frio. Chegamos a pegar 12 graus! A partir das 11 horas a temperatura começa a esquentar, chegando à máxima de 26 graus por volta das 13 horas.

Declarada patrimônio mundial pela Unesco em 1995, Luang Prabang é considerada a mais bem preservada cidade do Sudeste Asiático. Lá impera o clima de férias, a calmaria, a paz e energia boa. Suas ruas são repletas de monastérios e templos budistas, em uma combinação harmoniosa do estilo arquitetônico típico do Laos com estruturas urbanas dos séculos XIX e XX, que emergiram da colonização francesa. É muito louco sentir uma atmosfesra tão agradável em um país que lidera as estatísticas do maior número de bombardeios per capita da história. É admirável sentir a doçura desse povo, ainda que tenha marcado em sua história os dias sangrentos da Guerra Civil do Laos, há cerca de 60 anos atrás. Quase não se vê idosos por lá…

Rio Mekong

Rio Mekong

Com as belas lembranças que mentalizei e registrei, listo hoje os maiores encantos de Luang Prabang e na sequência vou detalhar cada experiência em um post diferente.

Como chegar

Para chegar a Luang Prabang, saimos de Bangkok em um vôo de uma hora e meia da Lao Airlines. Existe também um barco que sai de Chiang Mai e percorre o Rio Mekong durante dois dias. Brasileiros precisam de visto para entrar no país. Ao chegar ao aeroporto, além do pagamento da taxa de cerca de US$ 30,00 será necessário apresentar original e cópia colorida do passaporte e uma foto 3×4 ou 5×7.

Conversão

A moeda laosiana chama-se Kip e é extremamente desvalorizada. Entretanto é bem utilizada no turismo. Um dólar americano equivale a aproximadamente 7.500 kips. Nós trocávamos o dinheiro em cabines de câmbio na rua com tranquilidade.

Ronda das Almas

Laos - Ronda das Almas 2

Todos os dias ao amanhecer centenas de monges e noviços percorrem as ruas de Luang Prabang para receber oferendas e comida da população local, numa cerimônia silenciosa conhecida como “the monks alms collection“. O laranja das túnicas começam a colorir o dia quando o sol ainda está tímido. A participação nesse ritual deve ser muito respeitosa. É permitido fotografar sem flash e de forma discreta, à distância.

De bike pela cidade

Laos - Bamboo Brigde

Para conhecer toda a Luang Prabang em um dia basta alugar uma bike por US$ 5. Nós baixamos o mapa da cidade para o celular e usamos o aplicativo “city maps to go” para guiar o nosso percurso. Seguem algumas sugestões que merecem a passagem seja para uma pausa do pedal ou para voltar outro dia: a ponte artesanal feita de bambu, o bar Utopia para relaxar ou meditar em seus futons ou fazer uma aula de ioga no deck,  uma massagem maravilhosa e barata nas tantas opções espalhadas pela cidade, a loja de seda pura Lao Textile Natural Dyes, uma Beerlao com peixe frito ou grelhado nos bares da beira do rio… E o que mais der vontade!

Laos - Beerlao

Um dia com elefantes

Fizemos dois passeios com a Tiger Trail Outdoor Adventure. O primeiro foi andar no lombo de um elefante pela área do Elephant Village. Passeamos com o nosso elefante de 45 anos pela mata e pelo rio Nam Khan em um percurso de cerca de 40 minutos, que terminou com um banho. Foi muito divertido, mas senti um pouco de pena. Mesmo sabendo que o Elephant Village é um órgão protetor dos elefantes, muito sério, com uma preocupação ambiental e social, me deu peninha imaginar que esses animais que vivem o mesmo tempo que os homens passam boa parte da vida fazendo esse mesmo percurso tantas vezes com turistas.

Laos - Elephant Village

A segunda parte do programa foi uma trilha deliciosa de cerca de 1 hora até a Tad Sae Falls, uma série de quedas d’água e piscinas naturais com uma cor que é inacreditável. Para tornar o momento ainda mais especial, tive uma das experiências mais emocionantes da viagem e da minha vida: um banho na cachoeira com um elefante de 11 anos durante uns 20 minutos. Aquele elefantinho parecia bem contente com o trabalho dele.

Laos - Tad Xae Falls

Laos - Banho com o elefante em Tad Xae Falls

Visita aos templos

Por ter sido a capital do antigo reino do Laos, Luang Prabang possui uma boa coleção de templos. Dentre tantos, destacam-se o Wat Visoun – o mais antigo templo da cidade, construído em 1515 com base na arquitetura Sri Lanka, serve como residência para os monges; o Wat That Luang – uma enorme estupa dourada construída em 1566, considerada o mais importante monumento nacional do Laos; That Mak Mo – conserva um museu com diversas esculturas originais de Buda do século XIV a XIX; Wat Xieng Thong – o mais belo templo do Laos, de 1560, com fachadas douradas, telhado triplo representando a árvore da vida, todo decorado com figuras e símbolos em folhas de ouro; e o Monte Phousi – o templo mais alto da cidade, uma excelente opção para contemplar a vista e curtir o pôr do sol. Nesses dias, não se esqueça de usar roupas respeitosas, com as pernas e os ombros cobertos.

That Mak Mo

That Mak Mo

Wat Xieng Thong

Wat Xieng Thong

Decoração na parede de Wat Xieng Thong

Decoração na parede de Wat Xieng Thong

Esculturas de Buddha na subida ao Monte Phousi

Esculturas de Buda na subida ao Monte Phousi

Pôr do Sol visto ao longo da subida ao Monte Phousi

Pôr do Sol visto ao longo da subida ao Monte Phousi

Passeio de barco até a Caverna de Pak Ou

O passeio em um barco tradicional por duas horas pelo Rio Mekong já vale a viagem. Depois de 25 km chegamos à incrível Caverna dos 4 mil Budas, adornada por milhares de esculturas de Budas, recebidas da população local desde o século XVI, quando foi declarada pelo Rei Setthathirat como um local sagrado. Anualmente, é realizada uma cerimônia religiosa quando a caverna aumenta sua coleção.

Laos - Cave

Laos - esculturas na caverna

Após a visita à caverna, fomos conhecer o vilarejo muito humide de Ban Xanghai, onde a comunidade vive em palafitas, por conta da intensa variação do nível do rio ao longo das estações do ano. Lá compramos alguns produtos locais artesanais, como um lenço de seda crua, um quadro pequeno e uma garrafinha de Lao Lao, vinho de arroz, mais conhecido como cachaça!

Laos - canoa

Laos - comunidade ribeirinha

Laos - crianças na canoa

Para comer, beber, comprar e ver filme!

São muitas opções deliciosas: comida de rua no Food MarketLao Barbecue Soup – você mesmo prepara a sua comida numa panela que grelha a carne no centro e cozinha os demais ingredientes na borda; o bistrô francês Le Tangor para matar a saudade da comida ocidental com um bom vinho; o Night Market para muitas comprinhas de artesanato e muita pechincha; excelente comida local em um jantar romântico ao ar livre à beira do rio com voz e violão no Burasari Heritage; e a melhor surpresa de Luang Prabang: o bistrô e livraria L’étranger, comandado com muito carinho por mãe e filha canadenses, serve comidas ocidentais deliciosas, sopinha de cebola, o melhor chá de gengibre com mel e limão e outras gostosuras. De quebra ainda transmite diariamente no segundo andar os últimos lançamentos de Hollywood, em filmes fornecidos pela filha que divide a vida entre a calmaria de Luang Prabang e o agito de Los Angeles. Assistimos ao filme Her, quando ele nem havia sido lançado no Brasil.

Laos - L'étranger Books & Tea  Laos - barzinhos e night market

Laos - Le Tangor

Laos - Lao Barbecue Soup

Laos - Lao Barbecue Soup 2

As Árvores da Vida

A natureza da Luang Prabang é encantadora, e assim como as pessoas de lá, também respira o budismo. Diversas vezes nos deparamos com lindas e enormes árvores decoradas por fitas. Essas são conhecidas como a Árvore da Vida e representam o local onde Buda atingiu o Nirvana, após ter passado por todos os estágio da meditação, compreendendo a natureza real do sofrimento e alcançando a iluminação.

Laos - Árvore da vida

E os dias em Luang Prabang foram bem por aí, inesquecíveis…

Beijos e até,

Paula

Paula nova

Related posts:

Para cima

Contato

blogdoqueeupreciso@bol.com.br
 
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
%d blogueiros gostam disto: