Postagens Etiquetadas ‘Amsterdã’

De malas prontas: Dicas de Amsterdã – Parte III

Oi pessoal,

Hoje encerramos nossa série de três posts com dicas de passeio e gastronomia em Amsterdã. Deixei para o último dia apenas dois programas, até porque um deles deve ser aproveitado sem pressa. Apresentaremos aqui o Museu Van Loon e o Vondel Park.

Museu Van Loon

A antiga residência da família Van Loon, comprada em 1884, foi preservada e aberta ao público para mostrar como eram os costumes da época do ouro. O interior da casa é repleto de pinturas, fotografias e itens pessoais. É interessante observar a decoração da época, perceber a divisão dos comôdos e o contraste entre o luxo dos quartos da família e dos empregados.

Museu Van Loon

Vondel Park

Esse parque foi uma agradável surpresa em Amsterdã. Muito frequentado pelos residentes, o Vondel Park possui uma excelente localização. É normal ver muitas pessoas cortando caminho por ali de bicicleta. E que ótima forma de cortar caminho, em um cenário tão bonito e energizante.

Portão do Vondel Park

Arco-íris no lago

Dois patinhos na lagoa

Posando no Coreto

Outono no parque

Além de todas aquelas atividades básicas que um parque super acolhedor como esse permite fazer, há ainda um lugar especial chamado ‘t Blauwe Theehuis. A Casa Azul de Chá já pegou fogo nos anos 30 e foi reinaugurada em 1937, ampliando seu serviço com um cardápio no estilo bar-restaurante, mas sem perder a personalidade e o charme. Eu optei pelo lanche tradicional holandês: um chá com a famosa torta de maça com chantilly. Que delícia!!! O ambiente é muito acolhedor e tem uma vista linda. Havia algumas pessoas acompanhadas e outras sozinhas lendo o jornal ou um livro, enquanto degustavam seu lanche.

A Casa Azul de Chá

Chá com torta de maça e chantilly

E fechamos assim a nossa passagem por Amsterdã. Deu para curtir bem o roteiro, com tranquilidade, e conhecendo os principais pontos turísticos da cidade. Claro que deixamos alguns programas pendentes para ter motivos para voltar. Nem precisaria de motivos extras. Amsterdã é linda e pede BIS!

Espero que tenham gostado. Beijos e até a próxima!

Paula

Related posts:

De malas prontas: Dicas de Amsterdã – Parte II

Oi pessoal,

Dando continuidade às dicas de Amsterdã, a programação de hoje faz parte de um roteiro clássico. O primeiro destino será a Het Museumplein, a famosa praça dos museus que reúne o Rijksmuseum, o Museu Van Gogh, o Stedelijk Museum, e claro, o conhecido letreiro Iamsterdam. Quando nós fomos lá, o Stedelijk Museum, o museu de arte moderna de Amsterdã, estava fechado desde 2007. No final de setembro desse ano, ele finalmente reabriu suas portas! Mas a alegria durou pouco: no mesmo dia em que foi inaugurado, o Van Gogh fechou para reformas por sete meses, com reabertura programada para 26/04/2013.

Het Museumplein com o Rijksmuseum ao fundo

O famoso letreiro

O Museu do Van Gogh contém a maior coleção de pinturas (mais de 200 obras permanentes) e desenhos do artista. É uma verdadeira aula sobre a evolução de Van Gogh e sobre a sua vida. Vale a pena parar para escutar as histórias muito interessantes dos guias que ficam circulando pelas salas do museu.

O Rijksmuseum é o museu nacional dos Países Baixos, dedicado às artes e à história. Possui uma imensa coleção de pinturas da idade de ouro holandesa, incluindo trabalhos de variados artistas, entre eles, Rembrandt e seus pupilos.

Rijksmuseum

Não fomos a um museu seguido do outro. Fizemos uma parada estratégica na Heineken Experience para refrescar a mente. A entrada para a experiência custa aproximadamente 15 euros por pessoa, dando direito a dois chopes ao final do passeio e um brinde na loja da Heineken. O tour, super interativo, apresenta a história da cerveja, o processo de fabricação (com degustação!), a logística de envasamento e as campanhas publicitárias. No final do tour, é possível gravar seu nome no rótulo de uma garrafa, visitar a lojinha com itens super legais, e claro, degustar chopes bem gelados! Vale muito a pena a experiência, especialmente para os apreciadores de cerveja. Ao longo do tour, várias curiosidades são informadas. Uma delas, à respeito do nome da cerveja, que possui as três letras “e” inclinadas para a esquerda, dando a sensação de que estão sorrindo! =)

Heineken Experience

Como o nosso dia estava bem cheio, optamos por um almoço rápido no restaurante La Place, na Rokin 160 (mais uma indicação do Ducs Amasterdam). O buffet, no estilo self-service, oferece diversas opções de prato, com uma apresentação caprichada. A comida é bem gostosa e tem um bom preço.

E então, já estava na hora de mais cerveja! Pegamos o tram 14 e fomos para a cervejaria Brouwerij ‘t IJ, Funenkade, 7. Famosa pelo seu moinho, a casa funciona das 15h às 20h e aos fins de semana oferece um tour guiado para conhecer a fábrica. Como fomos em um dia de semana, a cervejaria estava funcionando a pleno vapor e tivemos que nos contentar em degustar os seis estilos de cerveja no bar. Que problema! rs O ambiente é super legal, com uma área externa bem agradável para os dias de sol.

Brouwerij’t IJ

Decoração do bar

Degustação dos chopes da cervejaria

Para fechar o dia, fomos passear pela Red Light District. É divertido observar o comportamento das pessoas passando em frente das vitrines vermelhas, algumas negociando o serviço, outras já deixando o local satisfeitas. Mas nada de fotos para mostrar aqui. Lá não é recomendável andar com uma máquina à mostra porque é proibido fotografar as moças. Então, só indo lá mesmo para ver como é. 😉

Por hoje é isso! No próximo post encerraremos a nossa série de dicas sobre Amsterdã apresentando o incrível Vondel Park e o museu Van Loon, uma residência do século XVIII preservada para mostrar um pouco dos costumes e da riqueza da época de ouro.

Beijos e até a próxima!

Paula

Related posts:

De malas prontas: Dicas de Amsterdã – Parte I

Oi pessoal,

Hoje darei início a uma sequência de três publicações com dicas sobre Amsterdã. A base será o próprio roteiro que eu montei para passar três dias por lá. Agradeço ao Daniel Duclos por todas as dicas do blog Ducs Amsterdam, que deve ser visitado por todos que estiverem planejando uma visita à cidade.

Amsterdã, capital da Holanda, é a cidade das bicicletas, das flores e dos canais, conhecida pela sua concentração cultural e boa organização, com um sistema de transporte urbano impecável. É muito simples percorrer a cidade nos trans (bondes) que convivem tranquilamente com as bicicletas, que para muitos residentes, são o principal meio de transporte, faça chuva, faça sol, seja a lazer ou a trabalho.

Cidade das bicicletas

Residências flutuantes, sempre floridas.

Um dos muitos canais

Ficamos hospedados no bairro Rembrantplein, com ótima localização e muitas opções de bares e restaurantes. O hotel escolhido foi o Edem, na Amstel 144. Um excelente custo-benefício, com um café da manhã bem farto.

Nosso primeiro programa foi o Museu Casa de Rembrandt, onde Rembrandt viveu e pintou entre 1636 e 1658. Foi muito interessante conhecer uma reprodução do cotidiano do pintor, além de admirar muitas de suas obras e de seus pupilos, espalhadas pela residência.

No caminho para a nossa próxima parada, passamos no mercado Albert Heijn, na Jodenbreestraat 21, para fazer uma “boquinha”. Eu adoro entrar nos supermercados nas cidades que estou visitando e procurar por coisas diferentes. Recomendo os tradicionais stroopwafels e o iogurte orgânico de baunilha (delicioso!).

Logo após fomos à Casa de Anne Frank, museu fundado em 3 de maio de 1960 em memória de Anne Frank, no edifício onde ela, sua família e outras quatro pessoas judias se esconderam por anos por conta da ocupação nazista, durante a 2ª Guerra Mundial. Seu esconderijo tornou-se muito popular após a publicação do Diário de Anne Frank em diversas línguas, tornando sua história conhecida mundialmente. A visita ao museu é muito envolvente e emocionante.

Mais tarde fomos ao restaurante t’Zwaantje, na Berenstraat 12, localizado no Jordan, bairro propício para um calmo passeio. Esse restaurante, indicado no Ducs Amsterdam, é excelente para conhecer a gastronomia local e perfeito para ir com fome. Os pratos individuais são bem servidos (podem até ser divididos), o preço é justo e o atendimento é bom. A decoração é escura mas é muito legal. Só não curti muito o fato de tapetes persas substituírem toalhas de mesa. Não achei muito higiênico. Enfim, é só uma questão de gosto. Isso não atrapalhou em nada a nossa refeição.

Restaurante ‘t Zwaantje

Decoração do restaurante

Pedimos de entrada uns cogumelos temperados que estavam fantásticos. O prato principal era uma espécie de picadinho de mignon acompanhado de um mix formidável de legumes e verduras. Explosão de sabores!! Infelizmente não sobrou espaço para a sobremesa… rs

Cogumelos

O prato completo

Nada como estar em um belo bairro para caminhar depois dessa refeição. No próximo post, o roteiro do dia envolve a Praça Het Museumplein, onde estão localizados o famoso letreiro Iamsterdam, o museu do Van Gogh e o Rijksmuseum. Também contarei sobre a Heineken Experience, a cervejaria Brouwerij ‘t IJ e a  Red Light District.

Beijos e até amanhã!

Paula

Related posts:

Para cima

Contato

blogdoqueeupreciso@bol.com.br
 
Copy Protected by Chetan's WP-Copyprotect.
%d blogueiros gostam disto: