Oi pessoal,

Na semana passada estive durante quatro dias na Praia do Francês, no litoral sul de Alagoas. A Maysa já chegou a fazer alguns posts aqui no blog sobre a sua viagem pelo litoral norte. E assim a cobertura alagoense vai crescendo!

Praia do Francês

Praia do Francês

A Praia do Francês está localizada a 40 Km de distância do aeroporto de Maceió (cerca de 1 hora de carro). Essa costuma ser uma praia muito frequentada, tanto pela proximidade da capital, como pela versatilidade: é a queridinha dos surfistas e kite-surfistas no lado direito e também possui águas calmas e lindas piscinas naturais no canto esquerdo, ideais para mergulho e relaxamento. Além disso, possui uma boa infraestrutura de bares e barracas em seu centro e a natureza totalmente preservada nos extremos.

Canto esquerdo da Praia do Francês

Canto esquerdo da Praia do Francês

Apesar de ser um mês de baixa temporada, fomos no feriado de 12 de outubro que nesse ano caiu em um sábado. Então a praia estava bem vazia na quinta e na sexta, mas no fim de semana alguns ônibus de turismo marcaram presença por lá. Nós sempre optamos por ficar em pontos mais afastados, com uma praia “só nossa”. Quando batia a fome, íamos para a área do Submarino Amarelo, mais conhecido por receber os locais do Francês, e tomávamos nossa água de coco, uma caipirinha de pitú com cajá, pitanga ou limão, uma porção de macaxeira ou de peixe agulha frito.

Uma questão que chega a entristecer é a sujeira normalmente abandonada na areia pelos frequentadores da Praia do Francês, na área dos bares e barracas. Infelizmente, como a coleta de lixo ali não é efetiva, e, pra piorar, não existem lixeiras bem distribuídas, a mudança de maré acaba levando parte do lixo para o mar ou o aprisionando nas paredes de areia, próximas dos coqueirais. Os moradores da Praia do Francês deveriam se mobilizar para buscar melhorias na infraestrutura e exigir a instalação de lixeiras na praia e uma coleta de lixo adequada.

Um passeio comum da Praia do Francês é ir de barco até as piscinas naturais. O transporte é totalmente dispensável para quem curte uma caminhada. Bastam 15 minutos em direção ao lado esquerdo para chegar às piscinas. É importante consultar a tabela das marés para saber o horário da maré mais baixa, quando as piscinas ficam bem evidentes. O cenário é lindo e a água tem a temperatura ideal para relaxar e mergulhar com snorkel admirando os peixes e corais. A tabela das marés pode ser consultada no Guia da Praia do Francês, disponível nas pousadas, hotéis e restaurantes. Nós pegamos o nosso no restaurante Padrino, onde almoçamos ou jantamos todos os dias. Ali saboreamos Lagostas grelhadas na manteiga de garrafa (R$ 40), Polvo à moda do chef com torradas (R$ 32), Salada al mare (R$ 25), Ravioli de siri ao molho de tomate (R$ 24), Tagliatelle ao molho de frutos do mar, dentre outras delícias.

Área das piscinas naturais

Área das piscinas naturais

Piscina natural na maré baixa

Piscina natural na maré baixa

Falando em Padrino, o motivo da nossa viagem foi a comemoração dos 50 anos do chef do restaurante, o Alexandre Nigro (Alex), que é pai da nossa amiga com quem fizemos essa viagem. No dia do aniversário dele fizemos um passeio de barco pela Lagoa de Manguaba, com algumas paradas para mergulho e almoço na Vila de Massagueira, considerada um polo gastronômico, com uma variedade imensa de frutos do mar e da lagoa. Para agendar esse passeio basta se informar na sua pousada ou hotel.

No passeio de barco

No passeio de barco

Vila da Massagueira

Vila da Massagueira

Visual da Vila de Massagueira

Visual da Vila de Massagueira

Pôr do sol na Vila de Massagueira com o nosso barco ancorado

Pôr do sol na Vila de Massagueira com o nosso barco ancorado

Onde ficar: Hotel Ponta Verde ou Pousada Capitães de Areia

Onde comer: Restaurante Padrino, na Avenida dos Corais nº 7

Confira nos links abaixo os posts sobre o litoral norte de Alagoas:

As praias e o passeio pelo Rio Tatuamunha

A Pousada Borapirá

A gastronomia alagoense

Paula

Paula nova

 

Related posts: