Oi pessoal!

No meio de tantos pontos obrigatórios, Montmartre ocupou uma posição de destaque na minha lista das lembranças mais especiais de Paris. Passear pelas ruas desse bairro boêmio é reviver os tempos de Picasso, Monet, Renoir, Modigliani e tantos outros artistas da Belle Époque. Se deixar levar pelas ruelas, ladeiras e escadarias dessa charmosa colina, com talentos gastronômicos e artísticos, e de repente, dar de cara com a exuberante basílica de Sacré Couer e sua bela vista de Paris, é uma combinação que inspira e marca. Vou me dedicar aqui aos momentos que mais curti ao longo do passeio, que durou um dia inteiro (sem ao menos sentir o tempo passar). Por isso, vou pular o Moulin Rouge, o famoso cabaré que todos já ouviram falar.

Passear pelas ruas de Montmartre é…

Se sentir em um cenário de filme. Surpreender-se com cada esquina, escadas e muros.

Escadarias de Montmartre

Pelas ruelas e ladeiras de Montmartre

A charmosa rua Lepic

A casa dos nove passarinhos

Se encantar com a vitrine de uma boulangerie e perceber que ela é ganhadora de vários prêmios, entre eles, a melhor baguete de Paris. Entrar e matar todos os “sonhos de consumo” parisienses: crème brûlée (o melhor que eu já comi), éclair, madeleine, financier, palmier, e claro, a baguete! Feito isso, o próximo objetivo era passar em uma fromagerie e numa lojinha dessas que vende tomate seco e azeitonas para completar os ingredientes do nosso lanche. Acompanhados de um bom vinho, claro. E nem precisamos fazer esforço para encontrar todos esses itens.

A melhor boulangerie de Paris

Crème brûlée, éclair, madeleine, financier e outras delícias

Pães dignos de premiações

Entrar em um ateliê e conversar com o artista, enquanto escolhe a obra que será autografada por ele. Agora uma pintura surrealista de André Martins de Barros decora a coluna de quadrinhos da nossa casa.

Ateliê do artista

Pintura de André Martins de Barros

Tomar um chá quando o frio bater. Na 15 Rue des Abbesses está localizada a Kusmi Tea. Essa loja encanta, não sei se pela intensa variedade de sabores ou pelo colorido da decoração e das embalagens. A marca surgiu em 1867 em São Petersburgo, na Rússia, e chegou à França em 1917, quando seus criadores se instalaram em Paris fugindo da revolução russa. Depois de sentir diversos cheiros e testar alguns sabores, escolhi um delicioso detox para esquentar a minha caminhada. Ah se tivesse uma lojinha dessa no Centro do Rio para tomar um chá pós-almoço…

Loja Kusmi Tea

Os aromas dos chás

Ser atraído por um bom som. A banda Les Presteej de pop soul, que estava instalada um pouco antes de chegarmos à Place du Tertre, seduziu nossos ouvidos e tivemos que parar. Eu queria levar aquele som comigo, e consegui. Eles vendem o cd “Le temps passe” enquanto se apresentam. Muito bom por sinal! Pesquisei depois na internet e eles já tocam há alguns anos pelas ruas de Montmartre e existem diversos vídeos de turistas que curtiram o som e publicaram no youtube.

Ao som de Les Presteej

Se render à Basílica de Sacré Couer. O que mais gostei nesse cenário foi o contraste de uma arquitetura romana em mármore todo branquinho com o colorido das pessoas ocupando suas escadarias enquanto cantam com os músicos que marcam ponto por ali. A basílica é imponente por fora e tem uma energia muito forte por dentro. Vale muito a pena subir até a cúpula, onde é possível admirar uma vista panorâmica e especial de Paris.

Música nas escadas da Sacré Couer

De costas para a Sacré Couer

Vista da torre da Sacré Coeur

Comer com charme. Passar em frente ao Moulin de la Galette e apesar de não tê-lo escolhido para o restaurante do dia, parar para fotografar porque ele é muito lindo e especial. Esse restaurante já foi um antigo moinho de trigo e é o único remanescente dos 14 que funcionavam em Montmartre. É famoso por ter inspirado Renoir em sua obra “Le bal du moulin de la galette”. Por sorte, a nossa amiga e colaboradora do blog, Otávia, também em visita recente à Paris, viu a dica sobre ele no blog Conexão Paris, foi até lá, contou sua experiência e cedeu a foto do seu prato.

“O Restaurante é uma graça, a decoração moderna e aconchegante e a comida muito gostosa. Comi um peixe com lagostin e o meu marido comeu um frango com polenta. Os pratos são super elaborados, preparados com um monte de ingredientes e temperos diferentes, proporcionando uma explosão de sabores. As porções não são muito fartas (bem estilo francês), por isso, se estiver com muita fome aconselho pedir uma entrada. Ah, não deixem de comer a sobremesa panna cota com pistache e calda de frutas! Estava maravilhosa! Os preços não são baratos. Custam na média 25 euros e a sobremesa, em torno de 12 euros, mas vale muito a pena. Só de lembrar me dá água na boca!”

O único moinho remanescente

Peixe com lagostin

Comer com diversão. Não resistir ao saber que existe uma casa de fondues que serve vinho em uma mamadeira!! E foi lá que nós encerramos as nossas atividades por Montmartre: Le Refuge des Fondues, na 17 Rue des 3 Frères. O fondue em si não foi o que marcou. Já comi fondues de queijo melhores. Também reparei que o que tinha mais saída era o de carne. Talvez esse sim fosse diferenciado. O que valeu mesmo foi a experiência. O ambiente é muito descontraído, bem frequentado, e há apenas duas longas mesas, o que torna o momento de sentar uma brincadeira à parte. Normalmente, os homens se sentam ao corredor e as moças em balcões encostados na parede, tendo que pular a mesa para alcançar o seu lugar (sempre auxiliadas pelo garçom). As paredes do restaurante são todas cobertas por um quadro negro completamente rabiscado com mensagens dos clientes. É claro que nós deixamos nossa marca ali. No bar, onde as mamadeiras são repostas, há uma colagem de notas de dinheiro do mundo todo. O nosso Real já estava representado com uma nota de R$ 2,00. Foi uma noite divertida! O lugar conquistou pela originalidade.

Fondue de queijos com mamadeira de vinho

Interior do restaurante Le Refuge des Fondues

Bem, vou encerrando por aqui e reforçando que, ao visitarem Montmartre, o façam sem pressa e observando cada detalhe. Até a próxima parada!

Paula

Related posts: