De malas prontas: Bruges (Bélgica)

Oi pessoal,

Voltei! Depois de um mês de férias, cheguei da minha 1ª viagem à Europa cheia de dicas e as melhores serão divulgadas por aqui pouco a pouco. A seção “De malas prontas” volta à ativa com Bruges, na Bélgica.

Vou pular a apresentação histórica dessa linda cidade medieval direto para os destaques da minha programação. A meta era provar tantas cervejas quanto o tempo e o corpo permitissem. Por isso, adianto que vocês não verão dicas referentes ao chocolate belga, porque a prioridade foi outra.

Falando nisso, apresento o pub bem local (poucos turistas presentes) pra onde corremos à noite assim que pisamos na cidade: ‘t Brugs Beertje (Kemelstraat 5). Ao sentarmos, fomos recebidos com um cardápio no porte de uma enciclopédia com mais de 200 opções de cerveja. O problema foi escolher dentre elas. Acho que conseguimos derrubar umas quinze com o suporte de uns deliciosos aperitivos.

Pub ‘t Brugs Beertje

Degustação de cervejas no pub

Mix de queijos e frios

Seleção de queijos

Como a maioria das cervas tinha um elevado percentual alcoólico, foi necessário passar no trailer de batata frita, localizado em frente ao Campanário. Fritas crocantes acompanhadas de um molho tartare que desceu redondo. Aí sim podíamos dormir.

O dia seguinte (16/09/12) foi uma data especial: Dia sem carro. Só se via charretes, bicicletas e pedestres nas ruas do centro de Bruges. O transporte público que levava até lá era gratuito. Além disso, estava rolando um festival de rock no Grote Markt (praça principal). Grata surpresa!

A atmosfera de cidade medieval preservada

O roteiro do dia começava com a subida dos 366 degraus do Campanário Belfry, que oferece uma linda vista da cidade e toca diversos sinos ao longo do dia. Em seguida, fomos à Igreja de Nossa Senhora (Onze Lieve Vrouwekerk) para ver a “Madonna with child” de Michelângelo.

A cidade vista do alto do Campanário

Depois disso já estava na hora de começar os trabalhos e fomos caminhando até a Cervejaria Halve Maan (Walplein 26), famosa pela fabricação da Brugse Zot. O tour guiado é uma aula de história muito interessante sobra a indústria cervejeira de Bruges e a produção da Halve Maan. O tour inclui uma Brugse Zot Gold e também proporciona um ponto de vista do alto da cervejaria.

Cervejaria De Halve Maan

Brugse Zot Gold

A versão quadrupel da Halve Maan

Bruges vista do alto da cervejaria

Não sobrou tempo para o passeio de barco pelos canais, mas não fez falta. Era muito mais gostoso caminhar pelas ruas e pontes sobre os canais do que enfrentar uma longa fila de espera para passear em um barco entupido de turistas.

Passeio de barco pelos canais

Quando bateu a fome, dois restaurantes que eu tinha planejado como opções de almoço já tinham fechado suas cozinhas (o povo almoça cedo lá). Então, nos restou degustar a deliciosa combinação “Moules frites” no Grote Markt em um menu que incluía mexilhões gratinados de entrada, mexilhões cozidos no vinho branco com fritas como prato principal e torta de maça com chantili de sobremesa. Excelente despedida de Bruges. Fomos embora com vontade de voltar…

Moules Frites

Grote Markt

Passamos a noite em Bruges no Hotel Campanile, na Jagersstraat 20. Esse hotel (3 estrelas) fica no bairro Sint Michiels, próximo a estrada N50 que leva ao centro de Bruges. A infraestrutura do quarto e do banheiro era boa. O único inconveniente é que por ser localizado em um bairro residencial, a 10 Km do centro de Bruges, dependemos de um táxi para voltar ao hotel à noite, assim como na manhã do dia seguinte, porque saímos bem cedo. O transporte público naquele bairro é um pouco limitado. Sorte a nossa que pudemos deixar as nossa malas nos “lockers” da estação de trem, porque senão teríamos que voltar ao hotel só para pegá-las. Melhor seria se tivéssemos nos hospedado no Centro. Por outro lado, tivemos a oportunidade de conhecer o estilo e costumes dos residentes de Bruges. E o hotel era bacaninha. Saldo positivo.

Paula

Deixe uma resposta

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.